Seja notificado de novas mensagens. Ativar notificações da área de trabalho.

voltar

Prof. Vinicius Lain

Médico | Especialização em Cirurgia Vascular 
CRM-27981

Acad. Matheus Machado Rech

Acadêmico de Medicina - UCS (Caxias do Sul-RS)
7225 visualizações - 21/10/2019
2 minutos de Leitura

Dificuldade para evacuar: causas e tratamentos

A prisão de ventre ou intestino preso são expressões que fazem referência ao termo técnico de constipação, caracterizado pela dificuldade de evacuar regularmente, ou seja, mais de três vezes por semana. É importante lembrar que a constipação é um sintoma e não uma doença.

Os sinais da constipação incluem:

- Menos de três evacuações espontâneas por semana

- Esforço nas tentativas de defecação

- Fezes irregulares ou duras

- Sensação de obstrução ou bloqueio no reto ou anus nas tentativas de defecação

- Sensação de defecação incompleta

- Manuseio manual necessário para defecar

- Inchaço abdominal

- Dor ao defecar

- Sangramento retal

- Dor lombar

Causas da constipação:

A constipação é geralmente multifatorial, podendo incluir as seguintes origens:

- Constipação de trânsito normal: embora as fezes passem pelo cólon a uma taxa normal é difícil evacuar.

- Constipação de trânsito lento: caracterizado por movimentos intestinais pouco frequentes, diminuição da urgência ou esforço para defecar. Ocorre mais comumente no sexo feminino.

- Disfunção do assoalho pélvico: Esforço prolongado ou excessivo, sensação de evacuação incompleta ou uso de pressão perineal ou vaginal durante a defecação para permitir a passagem das fezes.

- Ingestão inadequada de fibras (frutas e vegetais crus)

- Pouca ingestão de água

- Uso excessivo de café, chá ou álcool

- Ignorar o desejo de defecar

- Níveis reduzidos de exercícios físicos

- Fissuras anais

- Hemorroidas

- Tumores obstrutivos

Como tratar?

O tratamento deve ser realizado levando-se em conta a origem da constipação, visto que ela é um sintoma e não uma doença em si. Por isso a procura por auxílio médico é muito importante. Mas, de modo geral, há alguns cuidados que se deve levar em consideração, como:

- Mudanças alimentares e exercícios aeróbicos, em vez de laxantes e supositórios, visto que nenhum deles realmente resolve o problema subjacente. A chave para tratar a maioria dos casos de constipação é a correção de deficiências alimentares, aumentando o consumo de fibras, ingestão de água, aliando ao exercício físico, como caminhadas, para ajudar a estimular a motilidade intestinal.

- Uso farmacológico com indicação médica

- Os cuidados cirúrgicos geralmente se restringem à avaliação de causas subjacentes ou ao manejo de complicações agudas da constipação. 

Bibliografia

Constipation, Medscape, 2010

Palavras-chave:

  • Constipação
  • Dificuldade
  • Evacuar
  • Fezes
  • Intestino preso

Qual sua avaliação para o texto acima?