Seja notificado de novas mensagens. Ativar notificações da área de trabalho.

voltar

Rafael Colombo

Profissional de Educação Física | Especialização em
CONFEF-

Acad. Gabriela Thaís Boff

Acadêmico de Farmácia - UCS (Caxias do Sul-RS)
9423 visualizações - 21/10/2019
4 minutos de Leitura

EMPATIA: como funcionam seus NEURÔNIOS espelho

Posição da Imagem:

O que são e como funcionam os neurônios espelho?

São neurônios visuomotores localizados no córtex frontal inferior. De acordo com testes realizados em macacos, a atividade desse grupo neuronal é ativada com atos motores específicos, como segurar um objeto ou rasgar. Foi percebido que a atividade cerebral não dispara somente quando o próprio macaco executa o ato motor, mas também quando o primata observa outro indivíduo desempenhando o mesmo tipo de movimento, como se o macaco estivesse observando suas próprias ações através de um espelho.

As propriedades funcionais dos neurônios-espelho nos trazem o conceito de estrutura ideomotora de ações, segundo a qual a percepção e a ação compartilham formatos representacionais comuns. Os neurônios espelho sobrepõem a percepção e a ação, aumentando a sua atividade durante a execução da ação e durante a observação. Ao disparar durante as ações realizadas por cada um de nós e também por outros indivíduos, os neurônio espelho podem fornecer um mecanismo neural simples para reconhecer e se aproximar das ações dos outros. É importante salientar que os neurônios espelho não disparam durante atos mímicos. Assim, acredita-se que os neurônio espelho formem um sistema sofisticado e diferenciado para codificação compartilhada de aspectos motores e perceptivos das ações do próprio indivíduo e dos outros.

Qual a importância dos neurônios espelho ?

Acredita-se que os neurônios espelho sejam estruturas preservadas para que um ser possa perceber o efeito provocado pelo seu próprio ato motor. Outra hipótese sugere a ideia que esses neurônios sejam utilizados para compreender as ações e as intenções de outros indivíduos.

Qual a importância evolutiva dos neurônios espelho ?

As propriedades dos neurônios espelho discutidas anteriormente nos informam que essas células relacionam a nossa mente com a nossa existência e, além disso, encontram uma analogia entre o nosso corpo e o corpo de outras pessoas. Esses neurônios procuram uma similaridade entre nossos estados mentais e estados corporais com os de outras pessoas. A atividade dos neurônios espelho e a nossa tendência de imitar os outros automaticamente aumenta a nossa capacidade de entender os outros.

O que é empatia ?

Empatia é a habilidade de imaginar-se no lugar de outra pessoa. Além do mais, tal capacidade pode ser considerada como a compreensão dos sentimentos, desejos, ideias e ações de outrem.

Afinal, qual é a ligação dos neurônios espelho com a empatia ?

Conforme o artigo ‘’Imitation, Empathy and Mirror Neurons’’ do autor Marco Iacoboni, os neurônios espelho formam um mecanismo natural capaz de entender a mente de outro ser. O autor relata que a presença desse grupo neuronal é o que nos permite sentir empatia. O menor volume ou falha na atividade desses neurônios está relacionado com alguns transtornos neurológicos, tal como o autismo, que é caracterizado pela dificuldade em realizar interações sociais e comunicativas.

Os humanos parecem ter uma forte tendência para alinhar seu comportamento com seus companheiros durante as interações sociais. É sabido que a imitação facilita as interações sociais, aumenta a conexão, aproxima as pessoas e promove o cuidado mútuo. Os bons imitadores normalmente também são bons em reconhecer emoções em outras pessoas, o que por sua vez pode levar a uma maior empatia. Além disso, a imitação afeta no processo de gostar de uma outra pessoa. Quando alguém está nos imitando, tendemos a gostar mais dele.

Dessa forma, o conhecimento acerca do funcionamento dos neurônios espelho sugerem que essas células fornecem uma codificação flexível das nossas ações e das ações dos outros. Essa flexibilidade é uma propriedade importante para interações sociais bem-sucedidas porque as pessoas não se imitam o tempo todo, mas geralmente realizam ações coordenadas, cooperativas e complementares. Assim, os neurônios espelho parecem células fundamentais para auxiliar no comportamento cooperativo entre as pessoas em dias em que a cooperação está cada vez mais escassa.


Referências:
IACOBONI, Marco. Imitation, Empathy, and Mirror Neurons. Annual Review of Psychology, Annual Reviews, 2009. Disponível em: https://www.annualreviews.org/doi/abs/10.1146/annurev.psych.60.110707.163604. Acesso em: 10 out. 2019.

KANDEL, Eric et al. Princípios de Neurociências. 5. ed. [S. l.]: AMGH, 2014.

BEAR, Mark et al. Neurociências: Desvendando o Sistema Nervoso. 2. ed. [S. l.]: Artmed, 2002.

Qual sua avaliação para o texto acima?