Seja notificado de novas mensagens. Ativar notificações da área de trabalho.

Profa. Luciana Segat

Médica | Especialização em Obstetrícia e Ginecologia 
CRM-25254
Total de Leituras: 181,635
voltar

Profa. Luciana Segat

Médica | Especialização em Obstetrícia e Ginecologia 
CRM-25254

Acad. Bárbara Brambilla

Acadêmico de Medicina - UCS (Caxias do Sul-RS)
30 visualizações - 28/02/2021
6 minutos de Leitura

Terminologias no contexto LGBTQIA+

O que significa LGBTQIA+?

LGBTQIA+ é o movimento social e político que visa defender a diversidade e buscar maior representatividade e direitos para a comunidade. A sigla engloba os termos lésbicas, gays, bissexuais, transexuais, queer ou questionamento de gêneros, intersexo, assexual e o símbolo + é utilizado para incluir outros grupos e variações de gênero e sexualidade, como, por exemplo, os pansexuais.

Ser um aliado ou simpatizante significa ser alguém que, independentemente da orientação sexual ou da identidade de gênero, promovem os direitos e a inclusão da população LGBTQIA+.

A fim de obter melhora na comunicação com essa população por parte dos serviços de saúde, é necessário que os profissionais da saúde conheçam a terminologia relativas a esse tópico:

O que é gênero?

A palavra gênero é utilizada para designar o papel desempenhado pelo indivíduo como homem ou mulher, resultante da interação entre fatores biológicos, culturais, sociais e psicológicos. Esse conceito demonstra que homens e mulheres são produtos da realidade social e não somente decorrência de sua anatomia corporal.

E sexo biológico?

O sexo biológico diz respeito às características biológicas que o indivíduo tem ao nascimento.

intersexualidade engloba pessoas que nascem com anatomia reprodutiva e/ou um padrão de cromossômico que não são classificados como sendo tipicamente masculinos ou femininos.

O que é orientação sexual?

Orientação sexual se refere ao sentimento de atração emocional, afetiva ou sexual por indivíduos, podendo ser do sexo/gênero oposto, do mesmo sexo/gênero, de ambos os sexos/gêneros ou ainda sem referência ao sexo ou ao gênero.

Pessoas que se atraem por indivíduos do sexo/gênero oposto são referenciadas como heterossexuais. Quando se atraem pelo mesmo sexo/gênero, tem se o termo homossexuais. Este termo pode se referir a homossexuais femininas – também denominadas lésbicas, ou a homossexuais masculinos – também conhecidos como gays.

Essa nomenclatura é diferente de ser homoafetivo. O adjetivo homoafetivo é utilizado para caracterizar as relações entre as pessoas do mesmo sexo/gênero, incluindo os aspectos emocionais e afetivos envolvidos na relação.

Já em relação à bissexualidade, ser bissexual significa atração pelos dois sexos/gêneros. Por outro lado, o indivíduo assexual não sente nenhuma atração sexual.

Existem também indivíduos pansexuais. A pansexualidade também é um tipo de orientação sexual, da mesma forma que a heterossexualidade ou a homossexualidade. Pessoas pansexuais desenvolvem atração física, amor e desejo sexual por outros indivíduos independentemente de seu sexo biológico ou identidade de gênero.

Nesse contexto de orientação sexual, há pessoas que se identificam como queer. Queer é um adjetivo utilizado para caracterizar pessoas cuja orientação sexual não é exclusivamente heterossexual. Para as pessoas que se identificam como queer, os termos referentes à homossexualidade e à bissexualidade são interpretados como rótulos que restringem a amplitude da sexualidade.

O que é identidade e expressão de gênero?

Identidade de gênero é a percepção que um indivíduo tem de si mesmo como sendo do gênero feminino, masculino ou de uma combinação dos dois, independentemente de seu sexo biológico. Essa percepção não necessariamente é demonstrada para as demais pessoas.

expressão de gênero é a maneira como a pessoa se manifesta publicamente por meio de nome, vestimenta, corte de cabelo, características corporais, comportamento e interação social. Nem sempre a expressão do gênero corresponde ao sexo biológico do indivíduo.

Há determinados conceitos importantes relacionados à identidade e expressão de gênero. Agênero é o sujeito que não se identifica com nenhum gênero. Androginia descreve qualquer indivíduo, do sexo feminino ou masculino, que apresentam postura social comum a ambos os gêneros, especialmente em relação à forma de se vestir. Binarismo de gênero é a ideia de que só existe sexo feminino ou masculino, conceito limitante para os indivíduos considerados não binários.

Ainda em relação ao gênero, existem cisgêneros e transgêneros. O indivíduo cisgênero é aquele cuja identidade de gênero coincide com o sexo biológico. Por outro lado, transgêneros são pessoas nas quais a identidade de gênero transcende as definições convencionais de sexualidade, diferindo em vários graus em relação ao sexo biológico. Nessa definição são incluídos transexuais e travestis. Uma pessoa transexual é aquela que possui uma identidade de gênero diferente do sexo biológico. A mulher trans é uma pessoa que se identifica como sexo feminino embora seu sexo biológico seja masculino. Já o homem trans é a pessoa que se identifica como sendo do gênero masculino embora seu sexo biológico seja feminino. Travesti é uma construção de gênero feminino, oposta ao sexo biológico masculino, seguida de uma construção física permanente identificada na vida familiar, social, cultural e interpessoal, por meio dessa identidade. Algumas dessas pessoas modificam sua estrutura corporal por meio de terapias hormonais e estéticas.

Além dos termos cisgênero e transgênero, existe o gênero fluído, que é o indivíduo que se identifica tanto com o sexo masculino ou feminino, sentindo-se mulher em determinados dias e homem em outros.

Dentro desse tópico, outras terminologias são descritas. O termo cross-dresser se refere a homens que, como forma de expressão de gênero, utilizam de forma esporádica vestuário, maquiagem e acessórios culturalmente associados às mulheres. Em geral, esses homens se identificam como heterossexuais e não desejam mudar permanentemente o sexo. Essa forma de expressão não é utilizada para fins artísticos, diferentemente do termo transformista – o indivíduo que se veste com roupas do gênero oposto por questões artísticas. Drag queen é o homem que traja roupas femininas de forma extravagante em shows e outros eventos. Já drag king é a mulher que se veste com roupas masculinas para o mesmo fim.

Conhecer e respeitar os termos que caracterizam a diversidade da população LGBTQIA+ é de fundamental importância para seu reconhecimento e representatividade na sociedade. A terminologia relativa ao tópico está evoluindo rapidamente e novos termos estão sendo introduzidos e definições de termos já existentes estão se modificando, como forma de reconhecimento da diversidade dessa população. Cabe aos profissionais da saúde se atualizarem constantemente em relação ao tópico para que o a comunicação e o acesso a saúde da população LGBTQIA+ sejam realizadas da melhor forma possível.

Referências:

Seidel KM; Constanza TR, Novo L, Cabral CC, Moquedace P, colaboradores. Manejo da disforia de gênero no adulto. In: Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia; Carvalho GA, Czepielewski MA, Meirelles R, organizadores. PROENDÓCRINO Programa de Atualização em Endocrinologia e Metabologia: ciclo 9. Porto Alegre: Artmed Panamericana; 2017. P. 105-53. (Sistema de Educação Continuada a Distância, v.2).

REIS, T., org. Manual de Comunicação LGBTI+. 2ª edição. Curitiba: Aliança Nacional LGBTI / GayLatino, 2018.

Qual o significado da sigla LGBTQIA ? Educa Mais Brasil, 2020. Disponível em: https://www.educamaisbrasil.com.br/dicas/qual-o-significado-da-sigla-lgbtqia. Acesso em: 18/12/2020.

Associação Mundial Profissional para a Saúde Transgênero. Normas de atenção à saúde das pessoas trans e com variabilidade de gênero. Sétima versão. 2012.

Palavras-chave:

  • LGBTQIA+
  • LGBT
  • Gênero
  • Orientação sexual
  • Saúde LGBTQIA+

Qual sua avaliação para o texto acima?