Seja notificado de novas mensagens. Ativar notificações da área de trabalho.

voltar

Profa. Mona L. Dall'Agno

Médica | Especialização em Obstetrícia e Ginecologia 
CRM-37045

Acad. Ricardo Schultz Martins

Acadêmico de Medicina - UNIPLAC (Lages-SC)
172 visualizações - 01/09/2020
3 minutos de Leitura

Tratando a cólica menstrual com exercício aeróbico

Posição da Imagem:

A dismenorréia primária (também conhecida como cólicas menstruais) é uma das queixas femininas mais comuns na ginecologia – é estimado que mais de 50% das mulheres que menstruam sofrem com cólicas e 10% chegam a ter até 3 dias comprometidos por causa das dores que geralmente são referidas nas costas, pernas e abdomên – podendo ser acompanhada de náuseas, vômitos, dores de cabeça e sensação de desconforto. Mas, você sabia que o exercício aeróbico (como, por exemplo, a corrida) pode ajudar você, mulher, na prevenção e tratamento dessas dores?

Antes de explicar como o exercício aeróbico ajuda na prevenção e tratamento das cólicas menstruais, vamos entender o porquê elas aparecem, pode ser? As cólicas geralmente estão associadas a uma produção uterina excessiva de prostaglandinas e mediadores inflamatórios como interleucina-6 (IL-6) e fator de necrose tumoral alfa (TNF-α) causando contrações uterinas intensas e descoordenadas. Como consequência, o tecido uterino sofre isquemia e hipóxia – que são as responsáveis pelas dores. Além disso, o excesso de prostaglandinas estimula fibras nociceptoras espalhadas pelo corpo.

Agora que você entende como as cólicas menstruais se originam, vamos entender como o exercício aeróbico pode ajudar:

Primeiro: o exercício aeróbico atua como analgésico liberando substâncias (como, por exemplo, a serotonina, endorfinas e opioides endógenos) que auxiliam na redução da intensidade da dor

Segundo: o exercício aeróbico libera substâncias vasodilatadoras (como, por exemplo, o óxido nítrico) aumentando o fluxo sanguíneo uterino que facilita a remoção das prostaglandinas uterinas. 

Terceiro: a atividade física aeróbica, quando feita regularmente, aumenta os níveis de progesterona durante a fase lútea do ciclo menstrual o que é inversamente proporcional a concentração de prostaglandinas (quando mais progesterona menos prostaglandinas).

Quarto: o exercício físico regular modula o perfil de citocinas circulantesdiminuindo a secreção de citocinas pró-inflamatórias como a IL-6 e TNF-α, e aumentando a secreção de citocinas anti-inflamatórias como a interleucina-10.

Ou seja, se as cólicas menstruais são causadas principalmente pelo excesso de prostaglandinas e, consequentemente, falta de fluxo sanguíneo uterino, quando a mulher pratica exercícios aeróbicos (como caminhada, natação, ciclismo) regularmente existe tanto um aumento nos fatores que inibem a produção de prostaglandinas como um aumento no fluxo sanguíneo uterino graças a vasodilatação causada pelo exercício – isso sem falar nos outros benefícios do exercício regular como melhora do humor, da composição corporal, menor retenção hídrica e maior energia!

 

Fontes:

Dehnavi, Z. M., Jafarnejad, F., & Kamali, Z. (2018). The Effect of aerobic exercise on primary dysmenorrhea: A clinical trial study. Journal of education and health promotion, 7, 3. https://doi.org/10.4103/jehp.jehp_79_17

Kannan, Priya & Cheung, Alex, Kwok-Kuen & Lau, Benson, Wui-Man. (2018). Does aerobic exercise induced-analgesia occur through hormone and inflammatory cytokine-mediated mechanisms in primary dysmenorrhea?. Medical Hypotheses. 123. 10.1016/j.mehy.2018.12.011. 

 

Palavras-chave:

  • Cólicas
  • Ginecologia
  • Prostaglandinas
  • Menstruação
  • Progesterona

Qual sua avaliação para o texto acima?